quinta-feira, 15 de março de 2018

Uma tarde qualquer


Ela estava sentada no chão do quintal. Seu cabelo todo bagunçado, o joelho esquerdo ralado e ela cantarolava uma canção que havia inventado na hora. Nem percebeu que eu tinha chegado, continuou a brincar com suas bonecas e a ignorar todo o resto, como qualquer criança concentrada no próprio universo.  
Chamei seu nome, mas ela apenas me deu um breve aceno e voltou para seu mundo. Se eu bem a conhecia, e de fato convivi com ela desde que nasceu. Poderia ficar ali a tarde inteira. Sendo interrompida apenas pelo chamado do jantar pronto. Sua mãe adorava que ela tivesse tal imaginação fértil, deixava que tivesse o dia livre para trabalhar ou assistir sossegada a novela da tarde. Apesar de as vezes sentir falta de sua tagarelice infantil e devaneios que na maioria das vezes não fazia nenhum sentido, mas era divertidíssimo de ouvir 
Depois de cumprimentar minha tia, que estava atarefada, voltei para o quintal. Minha prima continuava a brincar. Sem nenhuma pressa. Sua roupa estava suja de terra, o que me dizia que havia mexido no jardim, ela não tentava passar alguma imagem de si, estava preocupada demais em inventar alguma coisa com seus brinquedos e passar o tempo. Sentei do seu lado e ela logo me colocou em sua história, e eu bem sabia que poderia durar uma vida inteira. 

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Metas...



Nunca entendi por que esperamos o ano novo para fazer metas ou começar alguma coisa. Alguns ,e disseram que era para começar um novo ciclo, ou recomeçar junto ao ano. Mas isso é só um jeito de procrastinar disfarçadamente. Se nós não tivéssemos feito o conceito de ano, ou semana ou qualquer outra forma de marcação de tempo, teríamos que começar nossas metas no máximo ao nascer ou pôr do Sol.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Livro Mentirosos - Spoilers


Quando você acaba de ler "Mentirosos", acaba sentindo aquela necessidade de compartilhar seus pensamentos e anseios. E é claro as indignações de um final que fez sua mente explodir em milhões de pedacinhos. 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Resenha - Mentirosos

Autora: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Ano: 2014
Nº de páginas: 272
Nota: 4/5
Preço: Buscapé

Sinopse: Na família Sinclair, ninguém é carente, criminoso, viciado ou fracassado. Mas talvez isso seja mentira.
Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.

Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Bost tendencia


Sabe quando você vai na casa de um amigo(a) e chama os pais deles de tios... Então, se você chamar eles no diminutivo fica tiozinho(a), e não é uma boa fazer isso, porque pode sair ofensivo.
E é com esse fluxo aleatório de consciência que eu começo esse post (eu quase escrevi bost... acho tendencia)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Netflix ou qualquer outra coisa: Uma dúvida cruel



Podemos considerar o seguinte post bem aleatório.
Já faz vários meses que eu estava sem vontade de realizar vários 'hobbies' que eu tanto gostava como aprender a tocar guitarra, desenhar, escrever e até ler. Isso estava me deixando bem triste, mas finalmente comecei a fazer essas atividades de novo, o que me levou a ter devaneios sobre o assunto. Do tipo: Por que eu não queria fazer algo que eu gostava?

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Resenha - Obsidiana (Saga Lux)

Autora: Jennifer L. Armentrout
Editora: Valentina
Ano: 2011
Nº de páginas:319
Nota: 4/5
Preço: Buscapé

Sinopse: Começar de novo é um saco.
Quando a gente se mudou para o interior, bem no início do último ano do colégio, eu já vinha me preparando para o sotaque caipira, o tédio, a internet lenta e um monte de chatices…Até dar de cara com o meu vizinho lindo, alto de dar tontura e com intimidantes olhos verdes. Hummm…os prognósticos estavam melhorando.
Até que…ele abriu a boca.
Daemon é irritante. Arrogante. Dá vontade de matar. A gente não se dá bem. Não mesmo. Mas, quando um caminhão quase me transforma em panqueca, o garoto literalmente congela o tempo com um aceno de mão e aí, bom, algo inesperado acontece.
O alien gato (meu vizinho) tem poderes!!!
Você me ouviu bem. ALIEN! A verdade é que ele e a irmã têm uma galáxia de inimigos que querem roubar seus poderes. O rastro que deixou em mim brilha como árvore de natal e isso não é nada bom. O único jeito de sair viva dessa é ficar colada em Daemon até a magia alienígena desaparecer.
Quer dizer, isso se eu não matar o cara primeiro.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Lembrar ou não, eis a questão



Ao entardecer, o ar fica mais frio, os animais mais calmos. E todo o resto mais sombrio. As luzes dentro das casas são ligadas artificialmente, e a relação entre pessoas não passa de movimentos pré-estabelecidos. Como se todos estivessem ligados no piloto automático.

domingo, 23 de abril de 2017

Imaginário


Eu também queria ser imaginário, os problemas da vida adulta me sufocam e tiram minha energia como sanguessugas em um lago estranho. Os monstros que me assombravam ao dormir, me propuseram cessar fogo alegando que eu não sei sorrir. Acusaram-me de não ser mais o mesmo, me segurar ao passado e não seguir em frente, mas é difícil quando todo o resto tomou a dianteira e esqueceram de mim.